quinta-feira, 19 de março de 2009

an angel

Não acreditava em anjos até encontrar um. Quanto muito haveriam pessoas que nos seguissem de vez em quando, vissem o que andamos a fazer... Quanto muito existiriam aqueles que pensávamos que estavam ali, de vez em quando...
Chegaste. Sem saber como, foste apenas ficando por cá até hoje. Sei que olhas por mim, mas o meu dever é proteger-te. Ainda que transmitas segurança há sempre aquela fraqueza por onde tenho medo que caias. Não te preocupes, estou aqui e não te deixo desistir. Desde o primeiro momento que soube da cumplicidade que seria apenas esta, sem medos, sem dúvidas. A tua presença é certa e se demoras em chegar o arrepio inconstante permanece até que te mostres bem. Não gosto de te ver inquieto, é melhor saber que estás completamente em ti, mais forte que nunca. Não vais cair, estou aqui para te amparar.
Na tua simplicidade mostraste-te um igual - sei que é contigo que posso contar. Basta que por ti chame, estás aqui. Sabes aquela certeza de que não estás sozinho? É isso. Eu não acreditava em anjos, mas agora sim, sei que é verdade. Acho que nem toda a gente pode dizer que tem um, mas eu tenho a sorte de o afirmar a pés juntos: tenho um anjo - que eu guardo, que me guarda. Sem qualquer dúvida disso, sei que és único.
Que seria de mim sem ti?

1 comentário:

Colin disse...

Eles existem. São poucos, mas andam por ai. E tal como dizes, tambem precisam de alguem que olhe por eles.

Bonito.