quinta-feira, 24 de janeiro de 2008

Amor

Dá-me para divagar, pensar, sentir, sobre isso e a conclusão nenhuma chegar. É estranho, mas saboroso ao mesmo tempo. Consigo digerir cada palavra intensa dita pelo meu olhar somente em teu nome. É, é o que nos move aquilo de que falo.
Gosto de falar-lhe sem lhe tocar, fazer com que paire apenas aqui, diante de mim, onde o meu olhar persegue o vazio, encontrando a sua presença num sorriso esboçado. Como te tenho, como te sinto. Como te respiro, sabes? Sei somente que me fazes sorrir, suspirar, estar assim, eu, por inteiro, feliz, minha. Eu.
Tento perceber o que és. De onde sais?, de onde?, sentimento esse que tudo faz girar? Quero explicar-te, fazer com que te entenda, mas, afinal, sei-te de cor. Sei que estás aqui, em tudo quanto contemplo. Por te ter comigo, sei-te, mais que muitos, sei-te sentir. Trazes-me muito abraçado a ti. Muito - a entrega, o querer, o ter ainda mais saudade, a vontade de trocar um olhar, receber um sorriso, sentir um abraço. Tudo - o ar que respiro, a minha concepção de vida. Tenho-te tanto!
Decoro o teu toque, este roçagar não pode acabar mais, não vou deixar. Contigo sinto. Estou viva, contigo, sim, vivo, sou. Vejo o que me dás. Trazes-me alguém contigo, a pessoa que me representa o mundo. Sinto-a comigo, dentro de mim. Debaixo daqueles olhos castanho-claros encontro-me tão protegida! Com o cabelo em que tanto mexo. A cara que tanto acaricio. O sorriso que tão me é essencial. Tudo, sabes, tudo. Aquele toque em que me sinto querida, viva, eu. Foste tu quem mo trouxe. Devo dizer que a culpa é tua? És tu, tu, tu quem fez com que tudo isto acontecesse? Com que ele palpitasse assim sempre que o vê? Admite! Admite que foste o responsável pelo meu doce cativo com aquela presença, aquela mão que me agarra! A culpa, é tua! Com que então... A culpa é tua!
Obrigada, Obrigada. Obrigada por ser tua a culpa, por me teres trazido a paz, por me teres ensinado a cumplicidade, a felicidade, a alegria contemplada nas lágrimas, o saltar fora do corpo todo um coração. Obrigada por seres o responsável, o único que me mostra o que sou, que me dá o alguém que me preenche, que me dá a vida, o oxigénio, um ser, me dá a mim. Obrigada.
A ti, que não sei definir o que és, a ti, devo tudo. Tudo o que não se sabe ser. A ti, Amor, devo toda a essência da palavra vida.

4 comentários:

bettencourt disse...

acho que foi o melhor conselho que já me deram.

=D

Poetisa da Alma disse...

Sinto a felicidade, sinto o conforto das palavras, sinto a calma... Esse texto podia ser só um texto mas sinto que é mais do que isso, sinto que é uma carta, talvez de gaveta, talvez apenas um texto online (hoje em dia já nem as cartas de gaveta são a mesma coisa, podem ser lidas por quem quiser, mas continuam a não ser lidas pelo destinatário), que ele lê ou que não, mas a verdade é que são sentimentos teus que estão embutidos em cada letra, e isso faz-me sentir contente, porque te sinto realizada, feliz...
É bom quando nos sentimos amadas, queridas, quando sentimos que nos valorizam e que precisam de nós... O toque... oh o toque é tão bom, um beijo, um sorriso, o brilho do olhar, o calor da intimidade, o cheiro do corpo... são coisas que não se esquecem, são coisas que conferem uma dimensão muito mais profunda ao que sentimos, como se nos enchessem o peito.
Sinto-te cheia, quase completa, sinto-te bem, por isso estou bem.
Adoro-te amiga*

Rith@ disse...

És capaz de não fazer ideia, mas escrevo diariamente uma quantidade imensurável de cartas que com esta têm em comum o nome do destinatário: um tal de "tu", que é uma pessoa diferente de cada vez que é de um outro ser que estou a pensar, um "tu" que assume a forma que eu quiser personificar, um "tu" que não tem morada permanente nem nome próprio. Este teu "tu" é muito especial. Tem muito mais que nome e identidade, tem-te a ti. E como compreendo o que queres dizer no meio de este emaranhado de sentimentos que prendeste em palavras,
Gosto muito de ti, e tenho muito a agradecer-te. Vai em frente, sempre, é esse, e só esse, o caminho certo. Um beijo grande, estou cá para ti.

Anónimo disse...

AMEI! tá espetacular..sentido! =')