domingo, 2 de setembro de 2007

a minha varanda .

Procuro em cada partícula suspensa no ar, tudo o que sou. Custa encontrar-me por aí, onde sei que ando. Mas,... estou tão afastada de tanto. Debruço-me sobre esta varanda. Será que posso cair? Que será que acontece? Consiguirei voar? Ou acabarei ali, lá em baixo, estatelada no chão? Firme e hirta!... Apenas eu.
. . .
Porque é que não sei? Terei de experimentar? Há as amarras presas dentro de mim, que apertam tudo, que não me deixam sentir. Ser? Preciso de uma tesoura. Sim, para cortá-las! Quando estiverem em pedacinhos basta que as deite fora. Solte por aí, sem poluir, sem as abandonar. Aquelas cordas fortes, assim que eu precisar, voltam e vêm, prendem tudo de novo. Mais forte!, e será precisa outra tesoura, ainda maior.
O pensamento é algo muito poderoso. Basta!, já está. Pensamos. De segundo para segundo pode mudar-se o que queremos, ou então cimentar-se. Depende, que penso agora? Quero mesmo ser assim, como sou. E o meu pensamento fá-lo. Não sou capaz de tudo, mas consigo muito. Quando penso, consigo enganar-me, ver distorcido o que sinto. Será o sentimento superior ao pensamento?
O meu é.
Por mais que o raciocínio me diga para ser um, o meu coração sente dois. E aí, nada o contraria. É sempre tão superior a tudo!... Mas o que penso não ajuda. Não destrona a sensação, nunca, mas quando quer reprime-a. Nada pode ser perfeito, nada é sempre igual, nem sempre se é bom. Há que prender, há que pensar, há que ser. E quando se é sente-se e pensa-se.
Ainda assim, mesmo que se pense tudo, é ele, ele quem impera, lá no seu pedestal! O que ele emana, o que ele pensa. O coração pensa, sente e fala.
E tudo, tudo o que ele fala é o que de mais correcto existe. Porque é somente o verdadeiro pensamento que existe dentro de todos.
Não tem de ser necessariamente picuinhas ou até comovente o que ele diz, porque nem sempre é. Apenas é o que está certo para nós, para o mundo visto pelo que somos.
Afinal de contas, em todos existe alguém dentro do que pensamos ser, algo superior que todos comanda e guia, faz com que existamos. É apenas o coração, no seu sentido abstracto e não menos real,que manda tudo o que quer.
E há que agradecer toda a vida por isso.
. . .
Sim, lancei-me. Debrucei-me de mais!... Estou aqui agora. Mas onde? Nem sei. Certo é que voei, planei um pouquinho. Olhei alto e consegui vislumbrar, lá ao fundo a imagem que queria. Capturei alguns pedaços meus, soltos por aí. Sorri, obviamente. Contudo, assim que o fiz, caí. Não deu para pensar. Estatelei-me no chão de uma forma tão ríspida que nem deu tempo à dor, ao grito. Caí. Estou aqui. Sem me mexer. E agora, será que vivo?... Algo me diz que ainda consigo respirar! Calma, calma... Que é isto? Hum, esta sensação!, não me é estranha!
Ah, é apenas a essência.
A lágrima que cai do meu rosto.
E lá no alto, a varanda continua imóvel. Será que posso voltar aí?

5 comentários:

Moniqita disse...

Quem me dera poder, ver tudo outra vez nessa varanda! Fogo quero ir para nunca mais voltar!

So aquela varanda assistiu as amizades perfeitas que se construiram . . .


Bjinho


Gosto imenso de ti <3

nicole disse...

ai, a tal varanda. logo vi.

"Aquelas cordas fortes, assim que eu precisar, voltam e vêm, prendem tudo de novo."

gostei.
escritora a sério.

Flôr disse...

Boa tarde princesa! :))

Bigado pela tua visita ao meu jardim. Claro que virei visitar-te!!! Já estás nos meus favoritos... agora, também somos "amigas" blogueiras lol lol...

Gostei de ler o teu post... filosófico... mas sentido.... gostei mesmo!

Minha doce Cá... quando penso em ti... quando te conheci... tinhas acabado de fazer três aninhos... e agora vejo uma mulher linda... com sonhos e um coração tão bonito... sabes! já à muito tempo que não te digo algo que sente o meu coração... QUE GOSTO BUÉ DE TI! MUITOOOOOOO!

XI-CORAÇÃO bem apertadinho da amiga gordinha Flor

Deixo-te pétalas do meu coração, perfumes do meu Ser, e sorrisos do meu rosto... neste teu cantinho... para te dar sorte... boa sorte com o teu blog querida! :D

Tua Flor

Miudaaa disse...

Estive aqui e gostei muitooo do que li.
"Quero mesmo assim, ser quem sou"...
é uma certeza para ser repetida frequentemente e que gosto tantooo de ouvir. Que A certeza de seres quem és t'acompanhe, pela vida.

Um beijo da miudaaa

Lollypop disse...

também já me atirei deliberadamente da minha varanda. é bom sentir a lufada de ar fresco na cara enquanto desço não sei nem por nem para onde, é mau quando aterro nas profundezas e nada vejo abixo de mim. e quando subo de novo... a varanda é outra, a paisagem também, o pensamento molda-se, o coração manda, eu atiro-me de novo de alma nas mãos e sentimentos a escorrerem como água por entre os meus dedos... e no fim a sensação é exactamente a mesma.
atira-te. mantém as asas, de vidro, cristas, etéreas, de penas ou de metal... mas simplesmente não as percas. nesta batalha tudo te podem cortar... menos as asas, menos as asas...